As mulheres mandam em Games of Thrones

Uma garota soldado em busca de vingança. Uma rainha destronada que luta pelo que foi seu. Uma jovem vítima da violência de gênero que quer encontrar uma forma de seguir em frente. Esses são alguns dos perfis das mulheres que protagonizam Game of Thrones, uma série que, em matéria de papéis femininos, oferece de tudo, menos princesas esperando que o príncipe encantado as salve dos problemas. O enunciado de “todos os homens devem morrer” nunca foi tão adequado como nesta temporada, quando muitas mulheres assumem o controle da situação.

Minha mãe me proibiu de falar mais sobre pênis”, afirma, brincalhona, ao EL PAÍS Emilia Clarke, mais conhecida como a mãe de dragões Daenerys Targaryen. “Prefiro falar da presença da mulher na televisão, porque esta série lidera a revolução”, acrescenta. “É uma série feminista. Sei que muita gente não está de acordo, mas também sei que são maioria as mulheres que me dão razão e por isso nos veem”, emenda Sophie Turner, que interpreta Sansa Stark. Na série, a brutalidade da violação de Sansa e sua passividade tantas vezes criticada fazem com que, aparentemente, ela não seja a melhor porta-voz, mas Turner não concorda. “O que mais me assombra é que a cena vire trend topic e não falemos de algo que ocorre diariamente com mulheres de verdade.”

1464361805_813332_1464365602_sumario_normal_recorte1

A seu lado, sua colega e amiga Maisie Williams (Arya Stark) lhe dá razão, embora com ressalvas. Para ela, a palavra “feminismo” é errada. Prefere falar de sexismo para tudo que não é feminismo. “Na série só me deparei com grandes mulheres que me servem de exemplo. Como Lena Headley (Cersei Lannister), que sigo no Twitter desde que tinha 12 anos”, confessa Williams. Embora seja a mais jovem do grupo, ela também tem seguidoras, como é o caso de Turner. “Maisie me ajudou a superar os anos mais turbulentos de uma pessoa, a adolescência, diante das câmeras. E espero que isso também ocorra no sentido contrário”, relata.

1464361805_813332_1464365639_sumario_normal_recorte1

 

Mas, além de elogiar umas às outras, todas garantem que como mulheres têm muito a agradecer a uma série que no início, seis temporadas atrás, parecia dominada pela testosterona. A única coisa da qual Clarke não gosta em sua personagem é o pouco que ela sorri. Isso e a peruca loira, “que dá muito calor”. Fora isso, sobram elogios a Game of Thrones como série e agradecimentos pela oportunidade que deu à sua carreira

“Nos definiram como sexistas por uma personagem, por um episódio, sem parar para ver a grande variedade de mulheres que a série tem”, declara, combativa. “A beleza de Game of Thrones é que somos muitas mulheres e muito poucas são um objeto”, acrescenta, arremetendo contra o status quo em Hollywood, onde são poucos os papéis femininos e mais escassos ainda os de peso.

A série, além disso, impulsionou a carreira de suas atrizes. Depois de sua participação em O Exterminador do Futuro: Gênesis, Clarke estreia em junho o drama romântico Como Eu Era Antes de Você. Turner, por sua vez, passou a fazer parte de outro épico, este do campo dos super-heróis, interpretando Jean Grey em X-Men: Apocalipse. “Pode chamar isso de escapismo, e é verdade. Mas as duas histórias são muito mais reais do que parecem, com o acréscimo de dragões e mutantes”, define Turner. “Sansa não é só uma personagem. Sou uma mulher mais forte graças a ela”, resume.

Mortes sonhadas para suas personagens

Diante da quantidade de cabeças que têm rolado em Game of Thrones, suas atrizes já estão bem preparadas para as despedias. “Sabemos encarar bem isso”, afirma Clarke, que nem nos momentos mais tensos deixa de fazer brincadeiras − como no teste que lhe garantiu o papel, quando fez a dança da galinha. “Já vamos pensando em como fazer da última cena algo memorável”, acrescenta.

“Se esse dia chegar, quero algo épico. E cheio de sangue”, assinala Williams. Turner já pensou com mais detalhes em como quer que sua personagem morra. “Na última cena do último episódio”, especifica a mulher que quer ser rainha. “Melhor ainda, quero todo o episódio dedicado à minha morte. E que seja nas mãos de quem mais a quer. Arya deveria acabar com a vida de Sansa”, conclui

Rocyo Ayuso – LA – ElPaís

Advertisements

SÉRIES DA BBC SERÃO OFERECIDAS PELO ENTERPLAY, PLATAFORMA DIGITAL

Sherlock

A BBC Worldwide, braço comercial da BBC, anuncia sua parceria com o EnterPlay, disponível no Brasil para assinantes. Com isso, o público brasileiro poderá acompanhar diversas produções britânicas, como seriados, programas infantis e documentários.

“A integração de nossos conteúdos a plataformas de vídeo streaming, como a EnterPlay, é
fundamental para a estratégia de crescimento da BBC Worldwide no Brasil e no resto da
América Latina, já que nos permite complementar a presença de nossa marca na região e
levar a novas audiências alguns dos grandes títulos que conquistaram a fama de nossa empresa ao redor do mundo”, afirma Anna Gordon, Vice-Presidente Executiva e Gerente
Geral da BBC Worldwide para a América Latina/US Hispanic .

As séries ficcionais da BBC que já estão disponíveis no EnterPlay são:
Sherlock (três temporadas),
Doctor Who (oito temporadas),
Ripper Street (três temporadas),
Misfits (três temporadas),
Call the Midwife (três temporadas),
Luther (três temporadas),
Death in Paradise (duas temporadas),
Life on Mars (duas temporadas) e
Inside Men (minissérie).

No EnterPlay também está a série canadense Orphan Black (três temporadas), coproduzida pela BBC América. Vale lembrar que o site de streaming Netflix também oferece as mesmas séries em seu catálogo, com exceção de Death in Paradise, Life On Mars e Inside Men.

O EnterPlay é uma plataforma de conteúdo digital que reúne, em uma mesma interface, TV aberta e por assinatura, música, vídeos sob demanda (VOD), jogos e aplicativos, acessados por computador, tablet, smartphone, TV ou set-top-box.

Segundo divulgado pela empresa, o catálogo de VOD possui mais de 3 mil títulos (para assinatura e aluguel individual), contendo lançamentos recentes e campeões de bilheteria. Informações sobre como assinar aqui.

Fernanda Furquim(Veja)

Veja as séries que passaram de ano e as que foram canceladas em 2015

 

A semana que passou quebrou o marasmo típico dessa época do ano nos bastidores da TV norte-americana com o anúncio de renovações de seis séries. Elas se juntam a outras 53 atrações que irão ter novas temporadas em 2016 (veja lista abaixo). Em contrapartida, séries como Under the Dome, Downton Abbey, Revenge, CSI e Hannibal deram adeus neste ano. No total, 31 produções foram canceladas ao longo de 2015.

A onda de renovações dos últimos dias começou na terça (8), com a divulgação da quarta temporada de The Blacklist, e finalizou na quinta (10), com a informação de que a HBO dará para The Leftovers a terceira e derradeira temporada.

A grande surpresa ficou por conta de Wayward Pines, que terá mais um ano. A atração produzida pelo cineasta indiano M. Night Shyamalan esteve longe de ser um fiasco, mas foi previamente construída para ter somente uma temporada _ou seja, elaborada como uma minissérie. Tanto que praticamente todos os protagonistas morreram no episódio final. Só sobrou um, o garoto Ben Burke (Charlie Tahan). Mas a Fox não anunciou se Burke retornará nem como será a trama da nova leva de episódios.

Com The Leftovers, a HBO ignorou os números ruins de audiência nos Estados Unidos e deu crédito à inovação e ousadia de Damon Lindelof, um dos criadores da série, para que ele termine de contar a sua história _uma das melhores do ano, aliás.

O canal Showtime também também anunciou que Homeland vai para a sexta temporada e que The Affair, atual detentora do Globo de Ouro de melhor série dramática, terá o terceiro ano. Já a Netflix foi mais longe: sem ao menos ter estreado a segunda temporada da comédia Grace and Frankie, protagonizada por Jane Fonda e Lily Tomlin, já confirmou a terceira.

Não se mexe em time que ganha

Sucessos da TV norte-americana tiveram novas temporadas anunciadas sem nenhuma surpresa, como aconteceu com as séries Game of Thrones, The Walking Dead, Veep, Fargo, entre outras. Como de praxe, a Netflix deu novas temporadas para todas as séries estreantes do ano, caso de Bloodline, Narcos, Sense8 e Demolidor.

Séries estreantes ganharam força também em outros lugares, como a USA Network dando a segunda temporada para Mr. Robot, o Lifetime para UnReal e a NBC para Blindspot.

Além de Wayward Pines, outras atrações tiveram sobrevida inesperada. Casos de Mistresses, Tyrant e Aquarius.

DIVULGAÇÃO/CBS

A atriz Rachelle Lefevre em cena de Under the Dome, cancelada na terceira temporada

Fim inevitável

Já algumas séries não conseguiram se desvencilhar do destino certo: sair do ar. Assim foi com Under the Dome, que apesar de ter obtido uma popularidade alta no primeiro ano, ficou cansativa nas temporadas seguintes e recebeu o fatídico rótulo de “vai tarde” após o anúncio do cancelamento. Outras atrações que se enquadram nesse status indigno são Graceland, The Whispers, The Player e Proof.

Um adeus não foi tão triste. A série original de CSI, ambientada em Las Vegas, acabou após 15 temporadas. A despedida não foi tão dolorosa porque a magia do drama policial persiste em CSI: Cyber. Já com Hannibal foi diferente. Fãs de todo o mundo clamaram para que algum canal ou plataforma streaming, de preferência a Netflix, pegasse a série e continuasse a história do amado serial killer canibal. Mas não rolou. O fim veio na NBC mesmo, após três temporadas.

Confira abaixo quais séries foram canceladas em 2015 e quais irão ter novas temporadas no ano que vem:

Séries renovadas

2 Broke Girls (para a sexta temporada; da Warner)

Agent Carter (para a segunda temporada; do AXN)

American Crime (para a segunda temporada; do AXN)

American Horror Story (para a sexta temporada; do FX)

Aquarius (para a segunda temporada)

Ballers (para a segunda temporada; da HBO)

Banshee (para a quarta temporada; do Cinemax)

Bates Motel (para a quarta e quinta temporada; do Universal)

Better Call Saul (para a segunda temporada; da Netflix)

Bloodline (para a segunda temporada; da Netflix)

Blindspot (para a segunda temporada; da Warner)

Clube de Cuervos (para a segunda temporada; da Netflix)

Chicago Fire (para a quinta temporada; do Universal)

Chicago PD (para a quarta temporada; do Universal)

Demolidor (para a segunda temporada; da Netflix)

Episodes (para a quinta temporada)

Devious Maids (para a quarta temporada; do Lifetime)

Fargo (para a terceira temporada)

Fear The Walking Dead (para a segunda temporada; do AMC)

DIVULGAÇÃO/HBO

Lena Headey em Game of Thrones; drama da HBO vai ter mais uma temporada em 2016 

Game of Thrones (para a sexta temporada; da HBO)

Girls (para a quinta temporada; da HBO)

Halt and Catch Fire (para a terceira temporada; do AMC)

Homeland (para a sexta temporada)

House of Cards (para a quarta temporada; da Netflix)

Humans (para a segunda temporada; do AMC)

Longmire (para a quinta temporada; da Netflix)

Man Seeking Woman (para a segunda temporada; do FX)

Marco Polo (para a segunda temporada; da Netflix)

Masters of Sex (para a quarta temporada; da HBO)

Mistresses (para a quarta temporada; do Sony)

Mike & Molly (para a sexta temporada; da Warner)

Mr. Robot (para a segunda temporada; do Space)

Murder in the First (para a terceira temporada; da TNT Séries)

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Pelo papel de Pablo Escobar em Narcos, Wagner Moura concorrerá ao Globo de Ouro de 2016

Narcos (para a segunda temporada; da Netflix)

New Girl (para a quinta temporada; da Fox Life)

Orphan Black (para a quarta temporada; do A&E)

Orange Is the New Black (para a quarta temporada; da Netflix)

Scream (para a segunda temporada; da Netflix)

Silicon Valley (para a terceira temporada; da HBO)

Secrets and Lies (para a segunda temporada; do Sony)

Sense8 (para a segunda temporada; da Netflix)

The Affair (para a terceira temporada)

The Americans (para a quarta temporada)

The Blacklist (para a quarta temporada; do AXN)

The Comeback (para a terceira temporada; da HBO)

The Last Ship (para a terceira temporada; da TNT)

The Leftovers (para a terceira temporada; da HBO)

The Odd Couple (para a segunda temporada)

The Strain (para a terceira temporada; da Fox)

The Walking Dead (para a sétima temporada; da Fox)

Togetherness (para a segunda temporada; da HBO)

Tyrant (para a terceira temporada; do FX)

Um Drink no Inferno (para a terceira temporada; da Netflix)

Unbreakable Kimmy Schmidt (para a segunda temporada; da Netflix)

UnReal (para a segunda temporada)

DIVULGAÇÃO/HBO

Veep, estrelada por Julia Louis-Dreyfus, é a atual detentora do Emmy de melhor comédia

Veep (para a quinta temporada; da HBO)

Wayward Pines (para a segunda temporada; da Fox)

You’re The Worst (para a terceira temporada)

Zoo (para a segunda temporada; do Space)

 

Séries canceladas

Awkward (MTV)

Battle Creek

Beauty and the Beast (Universal)

Constantine (Space)

CSI (AXN)

Defiance (Syfy)

Dominion

Downton Abbey (GNT)

Extant

Forever (Warner)

Graceland

Hannibal (AXN)

Justified (Space)

Looking (HBO)

Melissa & Joey (Sony)

Mr. Robinson

Proof (TNT Séries)

Resurrection (AXN)

Revenge (Sony)

Stalker (Universal)

Strike Back (Cinemax)

Rookie Blue (Universal)

The Astronaut Wives Club

The Bastard Executioner

The Brink (HBO)

The Comedians

The Following (Space)

The Player (Universal)

The Whispers (AXN)

Under the Dome (TNT)

Wicked City

Original: http://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/series/veja-as-series-que-passaram-de-ano-e-as-que-foram-canceladas-em-2015-9946#ixzz3uE9Ddavy
Follow us: @danielkastro on Twitter | noticiasdatvoficial on Facebook

%d bloggers like this: