Shirley Maclaine:. Da fragilidade à fúria

image_preview

 

Shirley MacLaine nunca foi símbolo sexual, ao contrário do irmão Warren Beatty. Atriz de rosto exótico transita entre expressões de fragilidade e fúria, doçura e acidez
por José Geraldo Couto

Ao contrário de seu irmão Warren Beatty, Shirley MacLaine nunca foi símbolo sexual. “Algumas pessoas acham que eu pareço uma batata-doce. Digo que sou uma batata com coração de ouro”, brinca a atriz, que há mais de meio século faz de seu rosto exótico um meio de expressão de fragilidade e fúria, doçura e acidez.

Nascida em Richmond, Virgínia, Shirley foi dançarina desde a infância e cursou a Washington Scholl of Ballet. Na Broadway, atuou como chorus girl e atriz substituta. O produtor Hal B. Wallis a viu no palco e a levou para Hollywood, onde ela estreou por cima, em O Terceiro Tiro (1955), de Hitchcock.

Em poucos anos, mostrou que era boa tanto na comédia (Artistas e Modelos) como na aventura (A Volta ao Mundo em 80 Dias) ou no melodrama (Deus Sabe Quanto Amei, de Vincent Minnelli). Por esse último, de 1958, teve a primeira de suas cinco indicações ao Oscar, que acabaria vindo em 1983 por Laços de Ternura (James Brooks).

Brilhou em especial ao lado de Jack Lemmon em comédias agridoces de Billy Wilder: Se Meu Apartamento Falasse, Irma la Douce. Na meia-idade, trocou a militância democrata pelas palestras e livros sobre espiritualidade e vidas passadas. Aos 79 anos, segue a pleno vapor: está em dois filmes em finalização, Elsa & Fred e The Secret Life of Walter Mitty.

DVDs

O Terceiro Tiro (1955)
Num vilarejo pacato da Nova Inglaterra, um menino (Jerry Mathers) encontra um cadáver no bosque. Várias pessoas julgam tê-lo matado por acidente, inclusive a mãe do garoto (Shirley MacLaine), que reconhece o morto como seu ex-marido. Deliciosa comédia de enganos, exemplar atípico do cinema de Hitchcock.

Se Meu Apartamento Falasse (1960)
Funcionário solteiro (Jack Lemmon) de uma grande seguradora cede seu apartamento para colegas casados usarem como garçonnière. Ele acaba se envolvendo com uma ascensorista da empresa (MacLaine), que é amante de seu chefe. Comédia dramática em que Billy Wilder explora sagazmente as ambiguidades morais e sociais.

Muito Além do Jardim (1979)
Jardineiro (Peter Sellers) que passou a vida dentro da casa do patrão, com a morte deste sai para o mundo, que ele só conhece por meio da tevê. Tornado hóspede de um magnata (Melvyn Douglas) e sua avoada esposa (MacLaine), Chance é tomado por um sábio que fala por metáforas. Parábola de Hal Ashby sobre a alienação moderna.

Leave a comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: