Arrow 1×01: Pilot_A série mais esperada da Fall Season 2012.

Desde que os críticos de TV americanos tiveram acesso ao Piloto e mais alguns episódios iniciais de Arrow, uma comoção geral se instalou. A série da CW, emissora pequena e geralmente tratada como responsável por produções de gosto duvidoso, impressionou e foi tachada de “melhor estreia da Fall Season”.
Teve quem duvidasse completamente e lançasse mão da máxima de que as opiniões foram compradas pela DC Comics, responsável pela publicação que dá origem à série, mas verdade seja dita, o material promocional de Arrow já denotava algumas qualidades da produção que apenas precisavam de confirmação. Quatro minutos são muito diferentes de quarenta, convenhamos.
Sendo assim, a curiosidade para ver Arrow aumentou e a série apresenta uma Series Premiere que é sim, muito boa. Se essa é a grande estreia do ano, apenas os próximos episódios poderão confirmar, mas o caminho certo para isso está traçado. Vale dizer que, como nunca tive contato com as HQ’s e sei nada sobre o personagem já conhecido por muitos, a opinião sobre o Piloto é completamente livre de comparações. Apenas o produto televisivo está em foco.

Não há como negar que a história é sim, interessante e as primeiras impressões sobre a transformação de Oliver Queen (Stephen Amell), de playboy a vingador encapuzado, são as melhores. Pelo menos nesse inicio tudo é desenvolvido a contento, sem tirar do espectador o prazer da curiosidade. Um pequeno defeito estaria na edição que poderia ser mais ágil e tornar o episódio mais “alucinante” por assim dizer. A sensação é a de que tudo acontece na maior calma, muito embora, haja novos fatos e informações a todo o momento.
As cenas de ação são boas, os efeitos necessários para a trajetória das flechadas também têm qualidade e, no fim das contas, somando-se tudo isso ao elenco que dá conta do recado muito bem, Arrow se transforma numa produção de potencial. Isso porque nem citei o fato de que, depois do fim de Smallville, ficou aberta a vaga para uma boa série com temática de herói. Arrow parece estar estreando na hora certa.

A premissa de Arrow é a seguinte: Cinco anos após sofrer um acidente de barco em que perdeu o pai, o bilionário Oliver Queen é resgatado de uma remota ilha do Pacífico, onde, ao longo do tempo, ele se transformou numa verdadeira máquina de matar, com habilidades incríveis de combate e no uso de arco e flecha. Sua missão é consertar todos os erros cometidos pelo pai (que se suicida para que o filho tenha uma chance) e, de certa forma, fazer justiça. Para isso, Oliver vai se aproveitar de sua má fama de menino mimado e despistar seus inimigos e a polícia.
Com uso de verde e da roupa com capuz, a referência a Robin Hood é bem obvia. Além do mais, em sua primeira missão, Oliver tenta ser bacana com um dos figurões de Starling City, pedindo “gentilmente” que ele devolva muitos milhões de dólares para as pessoas que haviam sido prejudicadas por ele, mas a coisa não funciona muito bem “pedindo com educação” e é assim que Arrow invade a cena e redistribui a renda com seu jeitinho peculiar. Aliás, peculiar é a palavra certa para descrever a saúde de Stephen Amell, que é o tipo de cara que pode fazer cenas desnudas sem o menor problema. A boa forma do moço é, inclusive, um grande atrativo, mas Arrow não se apoia apenas nisso, apesar da exposição que rola em alguns momentos (para nossa alegria!).

Dentre os demais personagens temos Moira, a mãe de Oliver, que de boazinha não tem nada, Thea (Willa Holland) a irmã traumatizada e envolvida com drogas, Tommy (Collin Donnell) o melhor amigo boa vida , Laurel Lance (Katie Cassidy) a ex-namorada que ainda sofre com a morte da irmã e a traição de Oliver, John Diggle (David Ramsey) o segurança que só leva balão de Oliver e Quentin Lance (Paul Blackthorne) o detetive, pai de Laurel, que investiga a aparição de um vingador de capuz.
Arrow é baseada numa HQ homônima, publicada pela DC Comics. A equipe de produtores Greg Berlanti (“Green Lantern,” “Brothers & Sisters”), Marc Guggenheim (“FlashForward,” “Eli Stone”), Andrew Kreisberg (“Warehouse 13,” “The Vampire Diaries”) e David Nutter (“Smallville,” “Supernatural,” “Game of Thrones”). Melissa Kellner Berman (“Eli Stone,” “Dirty Sexy Money”) é co-produtora. O Piloto foi dirigido por David Nutter, com adaptação de Andrew Kreisberg & Marc Guggenheim e história escrita por Greg Berlanti & Marc Guggenheim.
P.S* Arrow não perde o charme e faz piadas sobre Lost e Crepúsculo. Sensacional!
Series em Serie

Leave a comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: